Connect with us

Imigração

Postagem excluída no site da Imigração NZ parece ser atualização da nova política-diz consultor

O ministro de Imigração, Kris Faafoi, tomou decisões há pelo menos dois meses sobre a reabertura de ambos os fluxos de residência para novas aplicações

Published

on

Photo: RNZ / Samuel Rillstone

Cerca de 34.000 pessoas estão esperando para saber quando as aplicações de expressão de interesse (EOI) para as categorias de migrantes qualificados e parentes serão reiniciadas.

Descobriu-se que o Ministro da Imigração, Kris Faafoi, tomou decisões há pelo menos dois meses sobre a reabertura de ambos os fluxos de residência para novos candidatos. As seleções do EOI – quando os migrantes são convidados a solicitar residência – estão paradas desde março do ano passado.

Os detalhes publicados no site do departamento de imigração sobre vistos de residência qualificados mostram mais pontos sendo alocados para empregos que precisam de registro ocupacional, como enfermeiras e professores, ou em áreas de absoluta escassez de habilidades.

As informações foram retiradas do site. A Immigration New Zealand (INZ) se recusou a confirmar ou negar que a base de cálculos por pontos que estava publicada no site mostrava parte dos novos critérios, o ministro não respondeu aos pedidos de comentário.

O Adviser David Cooper disse que o que estava publicado no website era uma forma antecipada da nova política e sugeria que o INZ estava preparando seu site para as mudanças.

Ele falou que isso sinaliza que um aumento no limite de pontos atual está previsto, e isso significaria que algumas pessoas não se qualificariam mais para residência.

“É um ponto que o ministro está prestes a anunciar? Não sei, mas certamente isto está alinhado com alguns”comentários não oficiais que estamos ouvindo’. Como:Aumento de pontos para empregos que exigem registro ocupacional, empregos em áreas de escassez de habilidades e de longo prazo.

Quando isso vai acontecer?

Muitos migrantes e seus representantes expressaram raiva e frustração que o ministro da Imigração, Kris Faafoi, vinha dizendo desde março que a decisão sobre EOIs seria feita em breve.

Mas alguns membros da comunidade de Advisers de imigração haviam recebido uma confirmação de que o ministro no final de junho já teria tomados tais decisões.

Cooper disse que, embora parte do atraso em fazer um anúncio pudesse ser contabilizado no tempo que o INZ precisava para se preparar. Ele lembrou que” uma ação agora é necessária e com urgência.”

Ele disse que já havia tomado decisões em relação aos critérios de seleção e que um anúncio seria feito em breve – estamos em setembro e não temos nenhum anúncio até agora.

“O dano à Nova Zelândia e aos indivíduos é mais significativo do que acho que a maioria das pessoas entende.”

Em um comunicado, um porta-voz do INZ disse: “A base de cálculos por pontos da categoria de migrantes qualificados no site da Immigration New Zealand foi inadvertidamente alterada.

“Isso foi um erro e já foi corrigido e restaurado para a alocação correta de pontos. Pedimos desculpas por qualquer confusão como resultado desse erro. Os ministros estão considerando como e quando reabrir as seleções EOI para o SMC, mas nenhuma decisão foi feito ainda. “

Decisões já tomadas

No entanto, viu-se evidências de que as decisões já foram tomadas há pelo menos dois meses.

Os dados divulgados sob a Lei de Informação Oficial mostram que 25.844 pessoas (11.660 EOIs) estão agora esperando para serem sorteadas na pasta de migrantes qualificados (SMC), incluindo 5000-6000 pedidos de pessoas com registro ocupacional.

Isso além de mais de 8.500 pedidos para parentes (com 5463 EOIs apresentados) sob a categoria de residência para pais.

O anúncio da EOI é apenas parte do problema, pois assim que os pedidos de residência forem reiniciados, eles se juntarão a 14.000 pedidos de residência SMC não processados ​​que datam do final de 2019.

O governo não atualiza sua política sobre números de residência por quase dois anos.

“Estou neste setor de imigração há quase 40 anos e nunca estive tão zangado como estou agora”, disse Cooper.

“O programa para residências terminou no final de dezembro de 2019. Estamos quase no final de 2021 e nada foi feito e o número [de inscrições] continua crescendo.

“A pobre e velha Imigração da Nova Zelândia está constantemente na linha de fogo, mas não tem os recursos – 70 funcionários para processar 14.000 solicitações de residência.”

Fonte:RNZ

O objetivo do Leiaquibrasil é, antes de mais nada, oferecer três coisas ao leitor: informação correta, imparcialidade e compromisso com a verdade

Imigração

National-Apresenta plano imigratório

O National divulgou hoje um plano que diz que eliminará a atual fila de aplicações para vistos e fornecerá um caminho para que migrantes qualificados que já estão na Nova Zelândia possam obter a residência.

Published

on

Judith Collins diz que o governo “quebrou completamente o sistema de imigração” nos últimos quatro anos.

“Agora temos longas filas para aqueles que aplicaram para residência e o tempo para processamento de vistos é o mais longo da história”, disse Collins.
“Não podemos perder mais médicos, engenheiros, professores e funcionários de TI porque eles não têm certeza de quando podem se tornar residentes.

“Essas pessoas desempenharam um papel fundamental para fazer com que a Nova Zelândia superasse o pior da pandemia de Covid-19”.
Collins acredita que o National tem um plano para “consertar o problema” na forma do Covid Contribution Visa.

“A primeira coisa que faremos é acelerar o processo de residência. Vamos otimizar o processamento e agilizar os mais de 30.000 processos que estão na fila”.
“Então, precisamos oferecer aos nossos trabalhadores migrantes um caminho para a residência. Estes são os nossos trabalhadores produtores de leite, cuidadores de idosos, motoristas de caminhão, trabalhadores da construção civil e equipe de hospitalidade que estão na Nova Zelândia porque havia uma escassez de habilidades.

“Finalmente, vamos desvincular os vistos de um empregador específico para impedir a exploração de migrantes. Uma abordagem mais inteligente é unir as pessoas a setores e regiões que garantam que as habilidades certas estejam nas regiões certas.
“Esse caminho seria por meio de um‘ Covid Contribution Visa ’, que daria aos nossos valiosos migrantes a capacidade, tempo e garantia para solicitar residência”, disse Collins.

Ela acrescenta que se espera que o visto afete cerca de 35.000 trabalhadores especializados e suas famílias nos próximos anos.

O porta-voz da ACT para a imigração, Dr. James McDowall, também divulgou uma declaração sobre o assunto hoje.

“O ACT aceleraria a residência para pessoas altamente qualificadas ao agilizar a fila de Expressão de Interesse (EOI) e retomar os pedidos para aqueles que estão offshore. Isso daria um caminho claro para a residência de migrantes qualificados “, disse McDowall.

“Há muitos migrantes qualificados, como médicos, que vivem na incerteza sobre se podem ficar. Ninguém os culparia se fizessem as malas e fossem embora.

“Este governo afirma ser gentil, mas a forma como trata os migrantes é cruel. É hora de o governo fazer o que é certo. ”
O parlamentar do Partido Verde, Ricardo Menéndez March, não acredita que os planos são bons o suficiente.

“É ótimo ver mais partidos apoiando a dissociação de vistos de trabalho de empregadores e caminhos para residência – mas simplesmente rastrear rapidamente o acúmulo atual não vai resolver. Devemos também remover as barreiras que impedem migrantes de baixa renda e pessoas com deficiência de acessar a residência.”

Os comentários foram feitos no momento em que o governo sinalizou planos para o que chamou de ‘reinicialização única em uma geração’ do sistema de imigração, dizendo que estava determinado a manter o controle sobre a migração assim que as fronteiras fossem reabertas.

O Ministro do Desenvolvimento Regional, Stuart Nash, disse que o governo deseja fazer com que a Nova Zelândia deixe de depender de trabalhadores menos qualificados para atrair aqueles com habilidades mais altas.

Na época, ele disse que a redefinição seria sobre “gerenciar os benefícios e impactos da imigração como uma das alavancas para alcançar os resultados que desejamos para a economia da Nova Zelândia”.

“Isso significa obter a combinação certa de pessoas e habilidades para garantir que estamos atingindo nossos objetivos econômicos, minimizando a pressão sobre nossa infraestrutura – como habitação – e garantindo que os kiwis tenham oportunidades de emprego.”

No início do mês passado, havia cerca de 10.300 expressões de interesse para visto de residência de migrantes qualificados. A prioridade de alocação a um assessor de imigração é dada para aqueles que ganham mais de $ 106.000. Mas mesmo depois de a aplicação é selecionada, pode levar até dois anos para a residência ser concedida.

O Governo também está trabalhando com migrantes de Samoa, Tonga e Vanuatu que vêm ao país sem passar pelo MIQ, em uma tentativa de aliviar parte da demanda por trabalhadores sazonais.

Fonte-1news

Continue Reading

Imigração

Imigração-Dono da loja é acusado de ‘escravidão moderna’

O acusado disse através de advogados que vai provar sua inocência

Published

on

DAVID WHITE/STUFF

Está sob investigação o dono de uma rede de “liquors” loja de bebidas. O proprietário é acusado por ex-funcionários de “escravidão moderna”, o mesmo enfrenta 17 ações judiciais por potenciais violações das leis trabalhistas.

O império Bottle-O e Merchant’s Liquor de Ravi Arora conta com mais de 13 lojas, mas ele pode perder na justiça o direito de mantê-las.

A Inspetoria do Trabalho está tomando 14 ações separadas contra Arora por meio da Autoridade de Relações de Trabalho e Tribunal de Trabalho, enquanto três ex-funcionários estão todos processando individualmente ações contra ele na ERA.

Uma série de artigos publicados no ano passado expôs como Arora falhou em 19 inspeções de trabalho nos seis anos anteriores, ele fez um acordo confidencial com um funcionário que alegou que devia Nz$ 80.000 e os fiscais do trabalho o forçaram a pagar Nz$ 30.000 a vários outros.

Seis ex-funcionários alegaram que recebiam apenas Nz $ 7 por hora. Nas ações impetradas o valor total coletivo e de Nz$ 900.000 em salários não pagos.
“Ele é extremamente rico, tem propriedades e carros caros, e os obteve explorando os migrantes.”disse um ex funcionário. Um outro ex funcionário, Arjun Chopra, disse: “As pessoas tratam seus animais melhor do que ele trata seus empregados”.

Investigadores que vem acompanhado o caso disse que Ravi vendeu ano passado várias de suas lojas, de acordo com eles o mesmo está se desfazendo de seus bens com intenção se escapar de pagar multas pelas ações trabalhistas.

Procurado o acusado através de seus advogados disse que: “Sei cliente é inocente e que o mesmo vai provar na justiça de que tudo não passa de falsas acusações”.

Continue Reading

Imigração

O número de pessoas na Nova Zelândia com vistos de trabalho diminuiu em 40.000 desde março do ano passado

De acordo com os estudos o número de vistos vai cair ainda mais

Published

on

O número de pessoas na Nova Zelândia com visto de trabalho ou estudante continua caindo lentamente.
De acordo com o Ministério de Inovação Empresarial e Emprego (MBIE), havia 180.963 pessoas na Nova Zelândia com visto de trabalho no final de julho deste ano.
Isso diminuiu em 39.744 (-18%) desde o pico de 220.707 em março de 2020.
O número de pessoas com vistos de trabalho diminuiu a cada mês, sendo que dois desde foram acusados devido às severas restrições de fronteira que foram introduzidas em março do ano passado em resposta à pandemia COVID-19.
Os únicos meses que registraram aumento desde então foram fevereiro e março deste ano, embora o aumento total nos dois meses tenha sido de apenas 810.
A partir de abril, os números começaram a diminuir de forma constante de novo em cerca de 3.000 por mês.

A última vez que o número de pessoas no país com visto de trabalho foi tão baixo quanto no final de julho foi no início de 2019.
O número de estudantes estrangeiros na Nova Zelândia seguiu uma trajetória semelhante.
A população de portadores de visto de estudante caiu de seu pico de 86.100 em outubro de 2019 para 50.598 no final de julho deste ano, um declínio de 35.502 (-41%).

Os números de migração do MBIE são provisórios e sujeitos a revisão.

Continue Reading

Trending